O espaço Parque da Paz

foto1
MM Almada
foto1
XXX GP Alto do Moinho
foto1
5 de Outubro
foto1
Grande Prémio PP
foto1
Ultra Trail Portalegre
Bem-vindo ao Clube de Atletismo Amigos Parque da Paz

Convidamo-lo a conhecer o Parque da Paz, o pulmão da cidade, criado pela Câmara Municipal de Almada para dotar o concelho com um dos melhores parques urbanos do País,   concebido pelo arquitecto paisagista Sidónio Pardal.

Esperam-no 60 hectares de área verde, composta por diferentes espaços, uns amplos, outros intimistas, que nos fazem perder a noção do tempo.

Suba a escadaria de xisto e granito que serpenteia a partir do parque de estacionamento. No topo, vire à esquerda e aproveite para apreciar o cheiro a campo, o voo das borboletas, a pose das aves, os banhos de sol dos répteis...

Parque da Paz_grande árvore


Caminhe até à zona central, uma imensa clareira verde, cercada pelas árvores mais adultas do Parque. Sobreiros, pinheiros e azinheiras estão em maioria mas, ao todo, foram já plantadas cerca de 1600 espécies arbóreas e arbustivas.

Contorne este mar verde e instala-se naquele banquinho debaixo de uma imensa anciã. A paz vai invadir-lhe a alma. Quando lhe apetecer, retome o caminho empedrado e descubra um espaço mais intimista.

Parque da Paz_lago interior

Aqui são já visíveis “construções” em pedra e xisto, zonas de estadia, que apelam à paragem e pretendem invocar a intemporalidade dos espaços, esbatendo o carácter frágil e transitório da vida.

Sinta o arrepio fresco do som da água provoca antes de sair deste esconderijo, mas no cruzamento vire à esquerda para ir ao encontro do grande lago.

Neste caminho, descendente descontraia com o zunido do vento que lhe sopra aos ouvidos e siga o voo dos patos que o guiam até ao próximo espaço.

Parque da Paz_Cisne perto do lago


Passe pelo edifício dos sanitários, do seu lado direito e aproxime-se da água, onde uma centena de aves se concentram, indiferentes à presença humana.

Encontre o local exacto por onde a água do lago escorre e sente-se nos blocos de granito. Ao fim da tarde o sol fica mais manso e o lago vai transformar-se num espelho prateado.

Semicerre os olhos, admire o cintilar do lago, ouça o eco das águas debaixo de si e pense: que bem escolhido foi o nome deste Parque. Aqui a Paz é sua.

Quando acabar este percurso passe pelo imenso monumento de aço corten de José Aurélio. Os seus braços de aço corten parecem conquistar o espaço em redor, livres e hirtos, ondulantes e pontiagudos.

Apoios
Estacionamento na Avenida Arsenal do Alfeite
Sanitários
Bebedouros

Bibliografia

Pardal, Sidónio, Parque da Cidade de Almada. Lisboa: Câmara Municipal de Almada e Censur – Universidade Técnica de Lisboa, 1997.

Fonte: Câmara Municipal de Almada (www.m-almada.pt)